10 de jun de 2016

Gestor ambiental em hospitais - Desafios e Oportunidades

XVII SILUBESA
Os resíduos de hospitais são classificados em A,B,C,D,E. Nenhuma novidade para os que trabalham em gestão ambiental em serviços de saúde. Também não é novidade o desafio enfrentado para sua segregação correta.

Na cultura hospitalar, muitos resíduos não contaminados são descartados como resíduos infectantes. Gestores ambientais em hospitais têm o grande desafio de mudar essa cultura.

As gestoras ambientais Tâmara Maciel e Thaiza Pimentel falaram sobre isso no trabalho de conclusão de curso "Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde no Hospital Santa Teresa - Um Estudo de Caso". As autoras falam, nesse trabalho, que há espaço em instituições hospitalares para gestores ambientais. No estudo de caso, mostram as transformações ocorridas na gestão de resíduos pela presença de gestores ambientais. Trabalhando em conjunto com os profissionais de enfermagem, os gestores ambientais conseguiram identificar maneiras diferenciadas de segregar os resíduos gerados no Centro Cirúrgico. Resíduos não contaminados passaram a ser encaminhados corretamente, diminuindo custos ambientais e financeiros. 

Concordamos com o que foi falado pelas autoras. A ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental) também. O trabalho foi selecionado para ser apresentado no XVII Simpósio Luso-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, em Florianópolis, nesse mês de junho de 2016 (foto).  Com o tema Soluções para um melhor Saneamento Ambiental, o objetivo do evento é a troca de experiências entre Brasil e Portugal.

O projeto realizado no Hospital Santa Teresa (Petrópolis, RJ) também foi premiado na edição de 2015 do Prêmio Amigo do Meio Ambiente, promovido pela organização Hospitais Saudáveis e pelo Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo.

Para saber mais sobre o trabalho apresentado: HospitaisSaudaveis.org

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário